Dia 156 - Xangai - Nanjin East Road, Sky Line e Yuyuan Market

VPN funcionando super bem, pesquisamos os “must see” da cidade e saímos com nosso google maps! Nem acreditávamos! Aliás, a China não é mais a mesma: comunismo de dar inveja a muita potência capitalista, todos os aplicativos bloqueados funcionando com VPN, prédios enormes e ultramodernos... enfim, uma verdadeira potência mesmo!

Sobre o VPN, utilizamos o VPN express. Vimos várias recomendações deles na internet e também de um amigo que veio pra cá no ano passado. Chegaram a sugerir que tivéssemos 2 para o caso de algum falhar. Acabamos optando por tentar com 1 só, a princípio, e não tivemos problema. Já posso adiantar que funcionou durante todo o nosso período de viagem, sem nos deixar na mão. É algo muito simples. Basta baixar o aplicativo no celular, aderir a um dos planos (que dependem, principalmente do tempo) e está pronto.

Nosso airbnb ficava no bairro The Bund, um dos principais da cidade com relação aos pontos turísticos. 
Caminhamos alguns metros pela famosa rua peatonal Nanjin east road e chegamos até a margem do rio, com a skyline do Financial Center do outro lado, com os prédios mais altos do país e a imponente e, ao mesmo tempo, delicada Pear Tower. Fiquei encantada por esse torre!


Caiu a chuva e ficamos sob uma árvore esperando passar. De lá fomos atrás de um restaurante, até que paramos pelo caminho em um bem gostoso, mas que esqueci de anotar o nome. Encontramos uma família de europeus que nos pediu ajuda pra escolher a comida deles. Rs O cardápio tinha foto e legenda em inglês. Comemos o pato recheado com 8 tesouros, que é como uma risoto e é tipo da cidade. Uma delícia!


De lá, caminhamos pela margem do rio de novo, em direção ao Yu Garden. Passamos por Old Shanghai st, pelo Yuyuan Market, pela Jiuqu Bridge, até que chegamos no Yu Garden às 17h, e já estava fechado. Acabamos errando o caminho e o melhor, seria fazer o circuito ao contrário: Yu Garden, Juiqu Bridge e Yuyuan Market, já que o mercado fecha mais tarde.


Paramos para tomar um chá no Café Chating. Tomei um Sea salt Tea: chá (que pode ser quente ou gelado, com uma camada de chantilly com um pouquinho de açúcar e sal. Uma sabor diferente e bem gostoso. O lugar é bem agradável, com vista para um das praças do complexo.

Voltamos caminhando pela margem do rio novamente para ver a skyline iluminada. As luzes da Pear Tower acendem às 19h, ao som dos sinos que avisam sobre o início do show. 

Compramos dumpling no Yams dumpling, numa paralela da Nanjing east road, muito bem avaliado no tripadvisory e um lugar famoso entre os locais, segundo a vendedora da Samsung, que vui nossa sacolinha, quando passamos para comprar um celular novo para o Rafa.

Realmente, bolinhos muitos gostosos, com caldinho suculento por dentro! Jantamos em casa e fomos descansar. 

Dia 155 - China!!!!

Dia de chegar à tão esperada e desconhecida China!! Depois que os meninos ficaram doentes algumas vezes na viagem e tivemos que ir ao hospital, fiquei morrendo de medo da China. Revimos todo o roteiro e excluímos o Tibet e algumas cidades que havíamos programado, por causa da altitude. Mesmo com baixo risco de causar algo grave, a princípio, não valeria a pena submeter os pequenos a possíveis enjoos e dores de cabeça. Encontrei alguns artigos médicos que não esse tipo de exposição para crianças menores de 4 anos.
Depois da Coréia, a China ficou mais próxima e parecia algo mais real e factível, já que os coreanos também não falavam nada de inglês. Só ficou aquela insegurança de viver sem o Google, e principalmente sem o google maps.

Foram só 2 horas de vôo e ja estávamos em Shanghai! Parece que ainda não me acostumei com essa ideia incrível de estarmos do outro lado do mundo! Como assim, só 2 horas de vôo e... China!!

Bem, chegando ao aeroporto, a imigração foi super tranquila e com direito a fila preferencial. Foi tudo bem rápido, sem nenhuma pergunta. 

Já no local de recolher as malas, comprados um chip de internet, que foi U$45,00 por 40Gb e validade por 3 meses. Pra gente valeu a pena, porque vamos usar por quase 2 meses e dividir com os pais do Rafa também. Usamos 1 chip e roteamos com os outros celulares. 

Umas 3 horas depois, vovô China e vovó Tetê chegaram!! Foi uma festa!! Estávamos todos morrendo de saudades! 

Pegamos uma van, já que em 6 pessoas, não era mais barato, mas valia mais a pena pelo custo benefício do que ir de trem. Os avós demoraram um pouco na imigração, por problemas com a digital da vovó e acabou ficando um pouco tarde. Já havia escurecido, estávamos cheios de malas, avós com jetleg... enfim, vários motivos para chegarmos logo e da forma mais fácil a nosso destino final.

O Gabriel foi o caminho inteiro contando várias coisas da viagem, no colo do avô. Uma graça. Foi a primeira vez que fez narrações tão longas.

Chegamos ao nosso airbnb, compramos comida nos restaurantes pela vizinhança e fomos descansar. 

12/09/2018