Dia 103 - Jatilwuih Rice Terrace e Dança no Ubud Palace

Dia de conhecer o maior e mais fomoso terraço de arroz: o Jatilwuih Rice Terrace, considerado patrimônio da humanidade, pela UNESCO, por ainda manter o seu tradicional sistema milenar de irrigação. 

IMG_6384.JPG
20180722_115521.jpg
20180722_114709.jpg
IMG_6229.JPG
IMG_6284.JPG

Ubud, e toda a região, parece que foi construída em meio às plantações arroz. Existem desde de pequenos terrenos, ao fundo das casas (como em nosso Airbnb e em alguns restaurantes no centro da cidade), até enormes terraços como esse e o Jatilwuih, que achamos realmente incrível. Se tiver tempo, porque fica um pouco mais afastado da cidade, vale muito a visita. Mais uma vez, estava em época de plantação e não vimos tudo verdinho, mas mesmo assim, o lugar é muito bonito.

Voltamos e almoçamos no Clear cafe, no centro. Um restaurante super gostoso, com mesinhas no chão e um daqueles canos que vem do andar de cima, para as crianças escorregarem. A comida é toda natureba e muito saborosa.

Clear Cafe

Clear Cafe

Clear Cafe

Clear Cafe

Á tarde, os meninos ficaram um pouco na piscina e depois fomos ver a Dança Tipica de Bali no Ubud Palace (tem em vários prédios e templos pela cidade e custa entre 80k e 100k, que seria entre 6 a 8 dólares). É melhor chegar uns 30 minutos antes para pegar lugar. Chegamos com 15 minutos de antecedência e já estava bem cheio. Ficamos uns 40 minutos e saímos para jantar no Bonito. Os meninos estavam cansados e mal jantaram.

Antonio ficou com medo, e o Gabriel adorou! Vida de mãe de gêmeos, aprendendo a lidar com as diferenças entre os meninos.

Ubud Palace no momento da apresentação de dança típica de Bali

Ubud Palace no momento da apresentação de dança típica de Bali

  • Pegamos um taxi para casa e foi a vez do Gabriel fazer febre de madrugada. :(

22/072018

 

Dia 102 - Green School Bali e Tegalalang Rice Terrace

Hoje foi dia de visitar a Green School, uma escola, que como o nome já diz, tem a sustentabilidade como um de seus pilares. O prédio é todo de bambu, que é fácil de plantar e em 3 a 4 anos já está pronto para ser utilizado, muito diferente de outras árvores que levam 50 anos para virarem adultas, por exemplo. Na verdade, tudo é feito de bambu, incluindo os móveis, a ponte...
 

Ponte de Bambu

Ponte de Bambu

O ônibus escolar utiliza biodiesel que tem como matéria prima o resíduo do óleo de cozinha. É sustentável do ponto de vista ambiental e também, em relação à comunidade, já que ajuda a diminuir o mercado negro, que vende esse resíduo transformado para ser reutilizado, que existe aqui em Bali.

20180721_115024.jpg
20180721_114245.jpg


As crianças têm matérias "verdes" nas plantações e criações orgânicas, nas estações de reciclagem do lixo e na compostagem. 
As aulas das matérias básicas são em salas abertas em meio à natureza. Toda o currículo e a forma de ensinar me pareceu uma mistura de Montessori com Waldorf. As matérias são ensinadas em sala de aula e colocadas em prática em atividades ao ar livre. A comunidade, os pais das crianças são sempre envolvidos com as atividades da escola. 

Como existem alunos de várias partes do mundo, as diferentes culturas são respeitadas e compartilhadas. O principal idioma é o inglês, mas alguns pais se dedicam a dar aulas extras no idioma o país de origem. Todos participam e se ajudam por aqui.

Instrumento musical. Passando as mão os bambus emitem som. Local chamado de coração da escola..

Instrumento musical. Passando as mão os bambus emitem som. Local chamado de coração da escola..

20180721_114529.jpg


A ideia inicial era passar uns dias por aqui, ajudando e aprendendo, como voluntários. Mas o voluntariado de estrangeiros em entidades sem fins lucrativos, como essa, não estão permitidos, no momento, pelo governo da Indonésia. Fizemos uma visita guiada, que já dá uma boa noção do incrível trabalho que é feito na escola. Há uma opção de unir a visitas a lugares parceiros e também a de ficar hospedado numa pequena pousada, na escola. Existe, alguns minicursos que são dados aqui também. O site tem bastante informações e a comunicação com eles é bem fácil por email.

De lá fomos almoçar no Green Kubu Cafe, um restaurante um pouco mais afastado da cidade, perto do Tegalalang Rice Terrace, onde fomos em seguida. O restaurante tem mesinhas no gramado, com puffs no chão e um daqueles balanços balineses, sobre a floresta. Um dos mais baratos que encontramos: menos de U$2,00 por pessoa, para ir de frente e de costas. O Antonio foi comigo, amarrado com aqueles cintos de segurança. Nosso pequeno aventureiro. O Gabriel estava animadinho, mas depois que dei um grito, quando balancei de frente para a floresta, ele se assustou de desistiu. :(

IMG_5932.JPG
IMG_5847-COLLAGE.jpg
Balanço Green Kubu Cafe

Balanço Green Kubu Cafe

Depois de balançar, fomos enfim, conhecer o famoso terraço de arroz. Infelizmente, estamos em época de plantação na maioria dos campos e por isso, não vimos aquele verdinho das fotos, mas os terraços são lindos mesmo assim.

IMG_6026.JPG
IMG_6073.JPG
IMG_6063.JPG
IMG_5991.JPG
Tomamos uma água de coco em um dos cafes e ganhamos o direito e usar o deck para tirar foto.

Tomamos uma água de coco em um dos cafes e ganhamos o direito e usar o deck para tirar foto.

Na beira dos terraços existem vários cafés com vista. Paramos em um deles e os meninos experimentaram água de coco pela primeira vez e nem preciso dizer, que adoraram!

Jantamos no Three Monkeys Cafe, no centrinho - comida muito boa, com uma pizza bem gostosa. Há uma plantação de arroz bem bonita ao fundo.

Three Monkeys Cafe: essa foto foi tirara no almoço, em um outro dia em que votamos lá.

Three Monkeys Cafe: essa foto foi tirara no almoço, em um outro dia em que votamos lá.