Viajando pela Ásia com crianças


Ubud, Bali

Ubud, Bali

A Ásia tem muitos destinos incríveis, mas sempre bate uma insegurança quando pensamos em explorar esse continente de países tropicais e muitas vezes pouco desenvolvidos, principalmente se temos crianças na bagagem.

Primeiro, sim. existem locais onde o saneamento básico não é tão bom e existe um risco mairo de contrair algumas infecções transmitidas por alimentos ou por insetos. Um ponto importante é lembrar que muitos são países tropicais, como o Brasil, portanto, temos algumas semelhanças: as próprias doenças, que também podem ocorrer em alguns locais no interior do nosso país, mas também coisas boas como a mesma abundância de frutas e legumes, por exemplo. Como no Brasil, aqui também existem cidade grandes e desenvolvidas, em que podemos passar mais tranquilamente.

De qualquer forma, com crianças, sempre temos que tomar cuidados extras e juntei aqui algumas dicas para que a viagem com pequenos, pelos países do Ásia corram sem imprevisto.

1. Alimentação
Parece óbvio que temos que tomar cuidado com a alimentação, mas nosso pequeno pegou uma super infecção intestinal na Austrália (que nem seria um país de tanto risco assim) e outra em Gili, perto de Bali, então todo cuidado é pouco. Uma dica boa para analisar o tamanho da neura com a alimentação é prestar a atenção na água que sai da pia e do chuveiro: se tiver cheiro ruim ou não for transparente, sinal de saneamento básico ruim e portanto, sinal de alerta! Agora vamos lá a alguns detalhes:
- Água
Beber apenas água mineral. As frutas por aqui são uma delícia, como no Brasil, e  portanto, os sucos também. É preciso tomar cuidado com a água com que os sucos podem ser preparados. Se quiser tomar os preparados em restaurantes, uma dica pode ser olhar a nota e o número de avaliações no tripadvisory.  Restaurantes com grande fluxo de clientes, são mais confiáveis. 
Também tomar cuidado quando pedir  um refrigerante (os em lata ou de garrafas são mais garantidos do que os de máquina) e também cuidado ao pedir com gelo.
Muito cuidado com o banho e o momento de escobar os dentes para que os pequenos não engulam água.

Pode parecer um pouco de exagero, mas as crianças são mais sensíveis, então, o cuidado deve ser mesmo redobrado, principalmente nos locais em que a o saneamento básico é ruim.

- Comida

Bibimpap, parto tipico coreano.

Bibimpap, parto tipico coreano.

Aqui vale a dica dos restaurantes de maior fluxo de clientes. Não adianta apenas ter uma nota nos sites de avaliação, mas sim, ter sido avaliado por muitas pessoas. Quando procuramos pela rua, nunca entramos em lugares vazios. Também evitamos comer nos passeios distantes das cidades, como dentro de parques naturais, nas montanhas, por exemplo. Em geral, são lugares de difícil acesso para chegar a comida e não temos nunca sabemos o tempo em que elas estão lá, sendo requentadas.
Sempre lembramos das frutas e verduras cruas, mas as carnes mal conservadas são grandes responsáveis por quadros de infecções intestinais. Assim, elas devem ser sempre bem passadas, e os ovos também.
Nós ficamos bastante em Airbnb e muitas vezes preparamos a nossa comida.  Sempre que conseguimos, compramos alimentos orgânicos, que, por terem menos agrotóxicos, acabam podendo conter mais microorganismos. Nós temos hipoclorito na mala para deixar de molho as saladas e algumas frutas. Na Asia, encontramos um detergente próprio para alimentos, que usamos também. Bem fácil de achar nos supermercados comuns.
Cozinhando em casa, é preciso ter cautela com a conservação das carnes nos supermercados. Compramos um frango na Malásia que estragou depois de algumas horas na nossa geladeira. Nem conseguimos cozinhar. Uma dica, que aprendemos com uma prima que mora nas Filipinas, é nunca comprar as carnes “fresca”, já que não como sabermos se são frescas mesmo e sim, sempre comprar carnes congeladas.

Insetos

Como no Brasil, os países aqui têm clima tropical e muitas florestas também, que acabam sendo o habitat de muitos insetos. Alguns deles são transmissores de doenças como dengue e malária. Nem todos os locais são zonas de foco dessas doenças, mas picadas sempre incomodam os pequenos, então, não custa tomar cuidado.
Usamos repelente todos os dias, principalmente quando estamos em regiões de mais floresta e praia. Quando fazemos passeios mais para o interior da mata ainda (como nas plantações de arroz, por exemplo), usar calça leve, clara e larguinha, pode ser um cuidado a mais para ajudar as crianças a ficarem livres dos mosquitos. 
Nós hotéis ou Airbnb, se puder ter ar condicionado é sempre bom para escapar dos mosquitos durante a noite. Trouxemos um mosquiteiro, mas nunca conseguimos usar direito. Muito difícil encontrar lugares para prender, no teto, na parede... os meninos acordaram enrolados em todo aquele pano mal instalado... enfim, deixamos logo pelo caminho. O melhor mesmo foi mesmo ter ar condicionado.

Macacos

Existem florestas de macaco para visitar e também alguns templos e parques com macaquinhos aos redor em várias cidades da Ásia (Já encontramos em Ubud, Lombok, Kuala Lumpur e em Langkawi). Eles são tranquilos mas sempre estão em busca de comida, e podem acabar mordendo. O ideal é ir de mochila com tudo para dentro, sem comida, sacos pláticos ou garrafas à vista. Eles pegam até garrafinhas de água, se estiverem na parte de fora, visível. Se acontecer de ser mordido, precisa procurar atendimento médico, pelo risco de raiva (mesmo se tiver tomado a vacina).

Vacinas

Pode ser interessante procurar um médico do viajante antes de vir para a Ásia, dependendo de quanto tempo pretende ficar por aqui. Ele te dirá se há alguma vacina extra a ser tomada (Nós tomamos de febre tifóide e de raiva) e se há algum surto ou algum cuidado a mais a ser tomado. Em São Paulo, o Fleury tem esse serviço e o Emílio Ribas também. O segundo é se graça, e dá pra marcar consulta pela internet, além de ser um centro de referência em infectologia no país. Nós usamos esse serviço e foi ótimo! 

Hospedagem

Nos lugares com saneamento básico ruim, é importante a escolha do hotel. Os com mais estrutura, muitas vezes acabam tendo um tratamento de água diferenciado. Em El Nido, por exemplo, que é uma ilha bem precária nesse sentido, encontramos o Lagun Hotel, que tinha filtros de água em todos os andares. 

Sempre lembrar do ar condicionado para prevenir as picadas dos insetos noturnos.

Arroz integral e legumes no vapor, em nosso Airbnb em Ubud, Bali.

Arroz integral e legumes no vapor, em nosso Airbnb em Ubud, Bali.

Encontramos Airbnb em todos os países por onde passamos. Tem sido sempre uma boa opção para dar um pouco mais de espaço para os pequenos e também, pela possibilidade de cozinhar e comer um pouco da nossa comida ocidental. Além de ter um ótimo custo benefício.

Vôos

Pela Ásia existem muitas companhias aéreas diferentes das que estamos acostumadas. Quase todas operam de maneira Low Cost, o que significa que refeições, bagagens despachadas e marcação dos assentos não estão incluídos na tarifa inicial. Em nossa experiência, os aviões e o atendimento que recebemos foram sempre muito bons, às vezes até melhores do que de algumas empresas do ocidente. Para algumas ilhas menores, como El Nido (Filipinas) e Lombok (Indonésia), pegamos alguns aviões de hélice e os vôos foram bem tranquilos com aeronaves novinhas ou muito bem conservadas.