Dia 8 - Waiheke Island – Nova Zelândia

Essa é a ilha das vinícolas. O país tem várias regiões de vinhos, sendo, junto com a criação de ovelhas, gado, turismo e indústria de madeira e metais, uma importantes fonte para a economia do país. Como é um dos nosso passeios preferidos, e nunca vimos vinhedos em ilha, achamos que seria uma boa opção de passeio. Além do mais, andar de “bom,bom,bom”, como as crianças chamam os barcos, é sempre diversão garantida pra eles. Decidimos ir com o motorhome. O Ferry pode sair do píer da marina de Auckland ou na Half Moon Bay, uns 30 minutos dali. Nesse dia, só havia barcos para carros, disponíveis na segunda opção. A empresa que faz esse traslado, com carros, é a Skysears. A Fullers tem o transporte para pedestres e também vende o ticket para o Hop-on Hop-off que leva ás vinícolas e priais da ilha. Há um desconto para quem comprar os ingressos juntos. A travessia dura 30-40 minutos com vista para a skyline de Auckland. É um ótima opção de passeio de ida e volta no mesmo dia, saindo de Auckland.

Começamos o dia dando comida aos peixinhos do Sr. Andy, em nosso B&B camping (nome que dei a esses campings privativos, rs). Tomamos café no motorhome e fomos explorar a ilha. Pesquisamos pelos blogs, usamos o viajoteca.com, de uma  pessoa que mora na Nova Zelândia e já visitou a ilha por diversas vezes. As informações estão um pouco desatualizada, mas as resenhas sobre os vinhos, restaurantes e espaços das vinícolas nos ajudaram bastante. Fomos almoçar na Mudbrick. Se tivesse que escolher apenas uma, iria nessa. No caminho, passamos por vários pontos com vistas para vinhedos e para o mar e praias com parquinhos. Aliás, estou pra ver país mais kids friendly do que esse! Sei que estamos apenas começando, mas estamos nos apaixonando pela Nova Zelândia! De Mudbrick, a vista é INCRÍVEL!!, a comida uma delícia e o vinho é bem gostoso. O que mais gostamos foi o Pinot Gris que tomamos. Passamos um bom tempo por lá apreciando a vista e almoçando.

IMG_4588.JPG
IMG_4639.JPG

No restante do dia, paramos em alguns mirantes e na vinícola Miro. É pequena, com uma casa super simpática com vista para outra parte da ilha.

IMG_4673.JPG

De lá, fomos pegar o ferry de volta para Auckland, de onde já partiríamos para a praia de Piha, para um camping pé na areia que havíamos reservado. A estrada de Auckland até lá, passa pela reserva de Waikatere e vale muito a pena fazer de dia. É muito bonita. Os meninos haviam ficado refriados, após uns 2-3 dias da nossa chegada. Provavelmente, pegaram de um homem que veio o vôo inteiro espirrando do nosso lado, :(  E hoje, o Gabriel começou a piorar um pouquinho e a fazer febrinha baixa. Chegamos à noite em Piha, ajeitamos nossas coisa, comemos algo rápido e fomos dormir. Durante a madrugada, Antonio acordou com 39oC de febre! Não sabia se ficava mais estressada pela própria febre dele ou por pensar na possibilidade do Gabriel evoluir com essa febre alta, na sequência. Falei com a pediatra deles no Brasil, a Dra. Gabriela Castello, a febre abaixou e já pra adiantar, esse foi o único pico de febre e logo ele ficou 100%!

18/04/2018